domingo, 20 de dezembro de 2015

Feiras do Livro e Animação da leitura

As bibliotecas escolares viram na época natalícia uma oportunidade para promover o livro e a leitura, proporcionando a compra de livros mais baratos através da realização de feiras do livro. A feira do livro também se apresenta como uma situação propícia à divulgação de novos títulos e a um contacto próximo dos alunos e das alunas com os livros e a leitura. É, também, um pretexto para a realização de atividades de animação da leitura, desenvolvidas nas bibliotecas escolares, que se apresentam como templos adequados à leitura e à reflexão, onde “perder tempo” a ler ou a ouvir ler é “ganhar” sabedoria. Assim, na EBI/JI Ferrer Correia realizou-se, de 9 a 17 de dezembro, uma feira do livro da responsabilidade das assistentes operacionais da Equipa da Biblioteca Maria Augusta de Campos, que foram incansáveis na promoção da feira. Alguns alunos fizeram leituras espontâneas, solitárias ou para os colegas. A feira também foi ao encontro dos pais/EE divulgando livros no átrio da Escola. No último dia, alunos dos 7º e 8º anos participaram numa atividade de animação da leitura da obra de Paul Auster A história de Natal de Auggie Wren, problematizando a mensagem natalícia através de uma reflexão sobre a solidão, o que é uma ação moralmente correta, o que é, afinal, uma história de Natal, … alguns alunos ouviram a história, outros preferiram lê-la. Seguidamente puderam aprofundar a mensagem subjacente a esta época festiva, através de vários objetos saídos do saco das prendas do Pai Natal, símbolos dos direitos do ser humano e do que é necessário a uma vida digna.
Na BE do Centro Educativo, ao longo dos dias 14 e 15, as turmas puderam visitar a feira, com os professores ou com os pais/EE, e participaram em atividades de animação da leitura dinamizadas pela professora bibliotecária e por técnicas da Biblioteca Municipal. Os alunos do 1º e do 3º anos ouviram a história Sabes, Maria, o Pai Natal não existe, de Rita Taborda Duarte, que assina uma fantástica desconstrução do imaginário infantil. Alunos e alunas refletiram sobre os conceitos de confiança e de autoconfiança, de partilha de segredos, de direito à privacidade, … Já os discentes do 2º ano revisitaram o nascimento de Jesus através do conto da história Nativity Jigsaw Book, seguida da obra Quanto vale a amizade?, de Maria Lúcia Carvalhas. A problematização do que é uma história de Natal foi um dos pontos da discussão, bem como o valor da amizade explícita na mensagem natalícia. Alunos e alunas do 4º ano desconstruíram os valores da sociedade contemporânea a partir do título O Pai Natal que veio do espaço, de Mário Contumélias, mostrando como aquela se afasta cada vez mais dos direitos humanos implícitos na referida mensagem.
A seguir à audição e reflexão sobre as obras, as turmas puderam ainda refletir sobre aquilo que é imprescindível ao ser humano para ter uma vida digna. Essa reflexão partiu de um conjunto de prendas muito especiais “enviadas pelo Pai Natal” num saco, que apelam à tomada de consciência do que é essencial ao ser humano para ter uma VIDA BOA. A partir dos objetos contidos no saco, alunos e alunas discutiram o simbolismo neles implícito. Casa, bola azul, animal, laço, coração, seringa, flauta, sapatilha de “ballet”, livro, caderno, vela, luva, flor, anel, … levaram à evocação da partilha, da harmonia, dos laços de solidariedade, da família, dos cuidados de saúde, da proteção, da arte e da beleza, da liberdade, … tendo consciencializado a existência de milhões de pessoas que não têm acesso ao mínimo de condições para uma vida digna.
No final, cada aluno foi desafiado a escrever, num pequeno cartão, uma palavra que associasse ao Natal e a colá-lo na árvore de Natal da Biblioteca que, assim, ficou com um apontamento físico desta época festiva.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Tintin em Miranda do Corvo

Para assinalar os 92 anos do repórter Tintim e os 80 anos do Capitão Haddock, companheiro de aventuras de Tintim, apresentamos a exposição &...