quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Comemorações do Dia Internacional dos Direitos Humanos






As Bibliotecas Escolares apoiaram logisticamente algumas atividades no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Direitos Humanos, nomeadamente as atividades desenvolvidas por iniciativa do Conselho de Turma e das alunas do 12º E, que contaram com a colaboração de outras turmas.
As alunas do 12º E (Curso Profissional de Animação Sociocultural) conceberam e criaram a “Árvore dos Direitos Humanos” a fim de sensibilizar a comunidade escolar para a temática urgente e, infelizmente, sempre recorrente dos Direitos Humanos. As discentes usaram caixotes, jornais, DVD inutilizados e velas feitas com materiais reciclados, dado os direitos ecológicos serem direitos humanos da 3ª geração. Para a decoração da árvore, a turma contou com a colaboração de alunos e alunas de outras turmas do ensino secundário (10º B, 10º E e 11º A), manifestação de que o termo partilha pode ir além de meras intenções. Palavras como “humildade”, “fraternidade”, “lar”, “carinho”, … , frases de personalidades ilustres e os artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos  adornaram este “monumento” evocativo da dignidade do ser humano. Esta empresa contou com o envolvimento de várias disciplinas, a saber: Área de Estudos da Comunidade, Animação Sociocultural (área da Saúde), Psicologia, Sociologia, Filosofia e Geografia.

A docente da disciplina de Área de Expressões/Quotidiano Cénico orientou, ainda, a elaboração de um guião, e consequentemente, com o apoio do professor de Área de Expressões/Atelier Musical, a encenação de uma pequena dramatização sobre a temática do racismo, levada à cena pelas alunas no dia 11 de dezembro para alunos dos 7º e 9º anos. A Biblioteca Escolar convidou o Dr. Carlos Marta, Bibliotecário da Fundação ADFP, para orientar um pequeno debate na sequência desta apresentação. Alunos e alunas participantes puderam refletir e debater o racismo, extravasando o diálogo para a temática mais geral dos direitos humanos, que devem ser respeitados, tanto quotidianamente, em pequenos gestos e ações, como em grandes causas. Esta reflexão-debate terminou com uma mensagem de esperança, alertando os alunos para a necessidade da assunção do sentido positivo da palavra tolerância, assumido pelas UNESCO em 1995, e que implica, igualmente, a adoção de limites, em detrimento do seu sentido negativo, infelizmente o mais conhecido. Os alunos foram também alertados para algumas obras sobre o tema existentes nas bibliotecas do concelho.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Tintin em Miranda do Corvo

Para assinalar os 92 anos do repórter Tintim e os 80 anos do Capitão Haddock, companheiro de aventuras de Tintim, apresentamos a exposição &...