quinta-feira, 18 de junho de 2015

Ecoescovões

Ecoescovões construídos pelos alunos, após o desafio lançado pelo Grupo de Trabalho Concelhio da Rede de Bibliotecas de Miranda do Corvo, em parceria com a Unidade de Cuidados da Comunidade Torre de Sinos e o Programa Eco-Escolas do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo, no âmbito do Projeto SOBE.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Propostas para o novo logotipo das BE do Agrupamento

Apresentamos as propostas apresentadas no âmbito do concurso para criação de um logotipo para as bibliotecas do Agrupamento. A proposta vencedora, já divulgada,  foi a da aluna Júlia de Lÿster, nº 9, 7º E.


Proposta Vencedora

As BE continuaram a homenagem à maternidade

No âmbito da Semana da Leitura, realizada em março, as BE divulgaram, na Biblioteca da EBI/JI Ferrer Correia, a exposição de ilustração “Mamã” e também animaram a obra que lhe está subjacente, de Mariana Ruiz Johnson, como homenagem à maternidade, através da poesia e da arte, entre a ternura e a exuberância cromática. Esta obra da editora Kalandraka constitui um canto universal ao amor e à vida em toda a sua extensão, desde o ser humano e as criaturas que nos rodeiam, até à Terra Mãe. Dado que não foi possível a todas as turmas da educação pré-escolar e do 1º CEB participarem nesta atividade, as BE continuaram a homenagear as “mamãs” durante os meses de abril, maio e junho, desta feita na Biblioteca do Centro Educativo de Miranda do Corvo, para onde transitou a exposição no 3º período.

Dar Voz aos Poetas e Poetisas

Dar voz aos poetas e poetisas Eugénio de Andrade, Sidónio Muralha, Luísa Ducla Soares e António Manuel Couto Viana, foi o desafio das BE para apoiar o currículo do 1º CEB relativamente às leituras orientadas pelas metas de aprendizagem.
Ler poesia, falar de poesia com crianças desta idade (6-10 anos) é entrar num jogo lúdico onde se descobrem sons, movimento, brincadeira, sonho, sentimento, imaginação e emoção. Como nos disseram: os escritores que escrevem poesia são brincalhões e escrevem muitas coisas dos sentimentos.

Nas várias sessões desenvolvidas, com todas as turmas do 1º CEB do Agrupamento, salientamos o envolvimento e atenção dos alunos e alunas nas leituras realizadas e ao jogo da descoberta das mensagens poéticas. Destaque-se ainda o valor pedagógico que as docentes atribuíram à atividade, concretamente no que se refere à análise, interpretação e descodificação dos conteúdos dos textos poéticos. 

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Projeto Mural

Desta vez, o Projeto Mural da autoria do professor Carlos Resende contou com uma exposição de livros integralmente construídos pelos alunos do 6º ano (turmas A, B, C, D e E), nas aulas de Educação Tecnológica (costura à portuguesa e encadernação) e de Educação Visual (composição gráfica dos conteúdos – textos -, ilustrações e mascote).

 Os alunos e as alunas puderam experienciar a feitura de um livro, desde os cadernos até à capa dura e, no final, ainda tiveram a oportunidade de o preencher  com os mais diversos conteúdos: uns receitas culinárias, outros histórias, como as fábulas de la Fontaine, ... obras espantosas feitas à mão, numa época em que o poder da tecnologia obnubila os saberes e as experiências do passado.


sábado, 13 de junho de 2015

A recompensa do trabalho, empenho e dedicação dos alunos monitores das bibliotecas



Mais uma vez as bibliotecas escolares (BE) do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo premiaram o trabalho empenhado dos alunos monitores, desta feita com uma visita de estudo ao Museu Nacional de Machado de Castro em Coimbra. Para esta concretização as BE contaram, mais uma vez, com o apoio da Câmara Municipal que providenciou os transportes, bem como com a colaboração do próprio Museu, que proporcionou uma visita gratuita.
A atividade contou com uma visita guiada ao criptopórtico, onde os alunos se deliciaram com a História e as estórias contadas pelo guia, bem como com a própria estrutura e as esculturas aí existentes. Não faltaram pequenas curiosidades que aguçaram o espírito inquiridor dos jovens alunos monitores. No final, todos puderam ver melhor a grandiosidade daquelas fundações através de uma maquete que se encontra à entrada do Museu.
Fazendo jus à sua missão de divulgação da cultura e da educação da sensibilidade estética, enquanto  capacidade crítica de saber aquilo de que gostamos, os responsáveis pela instituição permitiram, ainda, uma visita à exposição permanente, em que os alunos puderam apreciar alguma da mais magnífica escultura monumental portuguesa, bem como outras obras de arte das mais variadas áreas, muitas vezes usando expressões que denotavam a grandiosidade daquele espólio avassalador.
No final ainda houve tempo para apreciar as vistas antigas de Coimbra, a partir da repousante esplanada, e conversarmos sobre a visita, da qual destacamos, através da voz dos nossos alunos monitores, as seguintes opiniões: “Gostei muito desta visita. Gostei especialmente do criptopórtico.” (João Luís); “Eu, João Raposo, gostei muito desta visita e gostei muito de ver as esculturas e do criptopórtico.”; “Eu gostei muito de ver as infraestruturas existentes dentro do Museu, inclusive, o criptopórtico.” (Alexandre Cardoso).

Alice Alves e Maria José Vale

Professoras Bibliotecárias do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Criança tem opinião!

Foi um prazer iniciar os meus alunos nos caminhos da Literatura. Se tivermos em conta que muitos sofriam de iliteracia, após alguns meses de trabalho contínuo com o texto, conseguimos resultados por demais satisfatórios. E tudo porque o prazer esteve sempre lá e isso só é possível quando se compreende...
Professora de Português, Dr.ª Carmo Lindeza

VIVA A PAZ!

Registos sobre a paz realizados pelos alunos do 3º A do Centro Educativo de Miranda do Corvo.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Resultados do Concurso de Espantalhos promovido pela Biblioteca da ADFP

O nosso Agrupamento está de parabéns, pois ganhou os 3 primeiros prémios, especialmente a EB1 de Semide, o Jardim de Infância de Espinho e a EB1 Ferrer Correia.

PARABÉNS!


1º Lugar - ESC. BÁSICA 1 DE SEMIDE



 2º Lugar -  J. INFÂNCIA DE ESPINHO


3º Lugar - ESC. BÁSICA 1 FERRER CORREIA

Clube de Leitura - inglês 3º CEB








Os alunos do Clube de Leitura de Inglês do 3º CEB da Biblioteca Manuel Alegre, da responsabilidade da professora Isabel Reis, apresentaram no dia 8 de junho uma pequena dramatização da short story "Who wants to be a star?". Os alunos do 5º A que assistiram tiveram oportunidade de dialogar sobre os valores éticos subjacentes à história, que conta a vida de Tina, uma adolescente de 13 anos de idade, que é uma estrela. Ela canta e dança e todos a conhecem e amam. Mas, na verdade, ela não quer ser uma estrela. Está sempre triste. Quer uma vida tranquila. Um dia, visita a Sr.ª White, avó da sua amiga e que vive no campo. Ela gosta de passar lá o tempo com um monte de animais e com a Sr.ª White. Mas três dias depois, aparece em todos os jornais, pois é a estrela de TV desaparecida.
O que é que a senhora White pode fazer para ajudar a Tina? Qual é a conclusão desta história?
Se queres saber, podes requisitar o livro na biblioteca escolar...

A propósito de "A maior Flor do Mundo"...

A MAIOR FLOR DO MUNDO





Como tudo começou …
Chegadas, um dia de inverno, à escola do 1º CEB de Miranda do Corvo, fomos inesperadamente conquistadas pelas cores, formas, volumes e até cheiros imaginados, que as salas do 4º ano deixavam escapar dos conjuntos de flores que profusamente coloriam os espaços. Logo ficámos a saber que todo aquele colorido, impulsionado pelas professoras, fora obra de alunos, alunas e respetivos encarregados de educação, para homenagear a obra de José Saramago, “A Maior Flor do Mundo”, que tinham lido.
Logo nos surgiu a ideia de fotografar aquele imenso jardim, e nos veio à memória o desafio que o autor, no final da obra, nos lança: Este era o conto que eu queria contar. Tenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças. Mas ao menos ficaram sabendo como a história seria, e poderão contá-la doutra maneira, com palavras mais simples do que as minhas, e talvez mais tarde venham a saber escrever histórias para crianças… Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?...
E desta forma surgiu o pretexto da escrita, a vontade de registar sobre a forma de acróstico, a partir do título “A Maior Flor do Mundo”, a poeira da leitura da obra, captando as vivências de cada aluna e de cada aluno bem como das suas famílias que empenhadamente se mobilizaram neste jogo de escrita.
Testemunhamos o profissionalismo e empenho das professoras e confirmamos que, quando bem motivados, docentes, encarregados de educação, alunos e alunas se envolvem em projetos conjuntos promotores da literacia, das leituras, da escrita, bem como de outras formas de expressão e comunicação.
Da parte da biblioteca escolar estamos gratas por termos também participado nesta construção e de alguma maneira termos contribuído para fortalecer as dinâmicas à volta da escrita e da leitura.
Gostaríamos ainda de relembrar que a obra A MAIOR FLOR DO MUNDO, antes de ser a maior flor do mundo, foi “ História para Crianças”, uma crónica publicada nos anos 60, no Jornal do Fundão, que integra a compilação de crónicas “Bagagem do Viajante”.
Aqui fica o testemunho de um trabalho que vale a pena continuar e certamente servirá de estímulo a muitos outros!

As professoras bibliotecárias: Alice Alves e Maria José Vale

sábado, 6 de junho de 2015

Bibliotecas Escolares no Arraial da EB 2.3 C/ Sec. José Falcão

As bibliotecas escolares marcaram presença no arraial da EB 2.3 C/ Sec. José Falcão, expondo alguns materiais e livros utilizados ao longo do ano em sessões de animação/promoção da leitura e com a realização de uma feira do livro.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

terça-feira, 2 de junho de 2015

“Foi uma sessão de tirar o sono!”


“Foi uma sessão de tirar o sono!”. Esta constatação foi a maneira feliz com que o professor Sérgio Pais caracterizou a sessão sobre a qualidade do sono e a aprendizagem, desenvolvida pelos alunos do 12º ano do Agrupamento de Escolas de Alvaiázere, no âmbito da disciplina de Psicologia B da responsabilidade da docente Elsa Rodrigues. A sessão enquadra-se no projeto “Aprender a dormir, para mais sucesso conseguir!”, da responsabilidade das bibliotecas escolares daquele Agrupamento e realizou-se no contexto da parceria estabelecida entre as bibliotecas dos dois Agrupamentos Escolares.
No passado dia 29 de maio, os referidos alunos deslocaram-se à EB 2.3 C/ Sec. José Falcão onde realizaram uma sessão dedicada ao sono para alunos do 9º ano. A atividade iniciou-se com questões lançadas aos alunos sobre os mitos à volta do sono, seguindo-se uma explicação rigorosa, embora recheada de bom humor, sobre os diversos aspetos que envolvem os conteúdos associados à temática: fases do sono, relógio biológico, problemas associados ao sono, regras de higiene do sono… terminando com a importância de um sono de qualidade para uma aprendizagem mais eficaz. Pelo meio não faltaram  sketchs sobre situações relatadas pela Prof.ª Doutora Teresa Paiva no seu livro “Bom sono, boa vida”, ilustrando, assim, alguns dos problemas causados, quer pela privação do sono, quer pela hipersonia.
A sessão revelou-se bastante positiva para os alunos do 9º ano, na medida em que lhes proporcionou conselhos bastante úteis sobre um sono adequado, possibilitador de uma melhoria das  suas aprendizagens, tanto mais que estes alunos brevemente irão realizar exames nacionais. Essa positividade manifestou-se na boa interação estabelecida no decorrer da atividade, bem como no final, quando todos quiseram tirar fotos em conjunto. 
Esta sessão também mostrou a eficácia da formação inter-pares.

Alice Alves e Maria José Vale

Professoras Bibliotecárias do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Leituras de Abril

A atividade Leituras de Abril – A História do 25 de Abril por Detrás da Estória resultou de uma articulação entre as bibliotecas escolares e os professores titulares da disciplina de História do 9º ano de escolaridade.
Tendo como ponto de partida a obra Era uma vez um cravo de José Jorge Letria, pretendeu-se mostrar como a literatura, neste caso a poesia, se apropria dos acontecimentos históricos e os transfigura, com vista a encontrar-lhes mais facilmente o seu sentido profundo.
Aliando a animação da leitura aos conteúdos curriculares, professora bibliotecária e professor titular abriram o caminho aos alunos para estes interrogarem o poema Era uma vez um cravo e possibilitar-lhes a desconstrução da História por detrás da estória do 25 de Abril. Assim, os alunos foram percorrendo o caminho da revolução que permitiu aos portugueses abraçar o êthos democrático.
Cientes da importância que têm as conquistas de Abril e, ainda mais, da urgente necessidade de uma luta constante para as manter, os professores envolvidos não hesitaram em apelar aos jovens discentes para a consciencialização dessa necessidade e para o valor da assunção de uma cidadania plena, com vista a defender “as portas que Abril abriu”.
Os textos que a seguir se apresentam resultaram de um desafio feito às turmas, após os alunos pronunciarem várias palavras que rimam, quer fónica, quer semanticamente, com liberdade.
Alice Alves e Maria José Vale
Professoras Bibliotecárias