sexta-feira, 30 de março de 2018

Alunos apurados - 12ª Edição do Concurso Nacional de Leitura

Atividades de promoção / animação da leitura para o 1º CEB Homenageando a árvore


A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas e a Biblioteca Municipal de Miranda do Corvo desenvolvem, em parceria, trimestralmente, atividades de promoção / animação da leitura para o 1º CEB. No 2º período letivo selecionaram a obra “ Contos da Biodiversidade” da autoria de Alexandrina Pipa, Gabriel Lagarto e Margarida Costa, editada pela Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza).
Trata-se de um livro que reúne um conjunto de contos que, segundo os autores, pretendem dar voz à diversidade de espécies que existem no nosso país e mesmo no mundo, (…) para que nos possamos colocar, ainda que apenas por alguns instantes, no lugar do outro, ou seja, das espécies que sofrem com os nossos comportamentos diários. Desta forma didática esperamos que seja mais simples que todos percebamos que a nossa vida está intimamente ligada à biodiversidade e que, quando a ameaçamos, é a nossa sobrevivência enquanto espécie que está em perigo.
Esta atividade surge da necessidade de reforçar a reflexão sobre a proteção da natureza, na consequência dos incêndios que a têm vindo a destruir.
Como atividades paralelas à leitura estiveram presentes os bombeiros de Miranda do Corvo, que relataram experiências e fizeram demonstração de materiais e equipamentos; e a entrega de árvores para conhecer e ver crescer.
As atividades desenvolveram-se durante os meses de janeiro, fevereiro e março na biblioteca municipal Miguel Torga.



LEITURAS COM OS AMIGOS DA ARCIL



Foi à volta da leitura de HERBERTO que estivemos no sábado passado, na Biblioteca Municipal, na companhia dos nossos amigos da ARCIL.
Sobre Herberto a editora Bruaá diz-nos que (…) é uma lesma e para ele a vida não podia correr melhor. A sua ocupação diária: comer montanhas de alface com os seus amigos até a sua barriga ficar cheia e ser hora de dormir. No entanto, um dia, um dia mais em busca da alface mais saborosa que possa encontrar, Herberto cruza-se com alguns animais muito ocupados nas suas criações que demonstram capacidades extraordinárias. Admirado com o que fazem, Herberto elogia estes verdadeiros artesãos, enquanto secretamente deseja criar como eles. Mas não consegue. Pelo menos assim o pensa. (…) mas, afinal, todos nós nascemos artistas.

Esta narrativa fez-nos falar um pouco de nós, dos nossos talentos e ficámos a saber que todos somos talentosos, que todos somos capazes de fazer algo muito bem feito, nem que seja dar um pouco do nosso tempo, da nossa companhia, aos outros. Foi bem divertido!

Branca Flor Direito
Maria João Santo
Maria José Vale

FANTÁSTICA NOITADA NA BIBLIOTECA ESCOLAR DO CENTRO EDUCATIVO!


Foi uma noite bem passada, no dia 23 de março, na biblioteca do Centro Educativo, em que pais e filhos, motivados e envolvidos, participaram em jogos de leitura e escrita, e leitura de histórias. Todos saíram a ganhar!
A Biblioteca Escolar (BE) congratula-se com a adesão à atividade, vê os seus objetivos cumpridos e continua a acreditar que os nossos alunos, quando envolvidos e motivados para as tarefas de leitura e escrita, mesmo fora dos contextos de escolarização propriamente ditos, isto é, em contextos informais e mais lúdicos, são aprendizes ativos, constroem conhecimento e consolidam competências a partir das experiências em que participam.
A dinamização de contextos lúdicos de leitura e escrita entre famílias é uma das medidas da BE para apoiar as famílias na consolidação de competências de literacia com os seus filhos.
Estamos convosco, venham ter connosco para refletir sobre a importância de jogar e ler em família.

“O que vês, o que vejo…” uma narrativa ilustrada para crianças que não veem e não só!



Refere a sinopse do livro: “O que vês, o que vejo…” abre a cortina para uma conversa entre duas crianças, fluindo numa deambulação poética acerca de aspectos significativos de um dia. A fruição da narrativa acontece pela voz de uma e de outra, sendo o leitor convidado a apreciar a beleza oferecida pelas suas perceções, ora diversas ou unificadas pelo âmago da infância.
Um livro que convida a um diálogo plural sobre perceções, emoções e sensibilidades.
Um livro que transporta gente e simboliza encontro… pela mão dos afetos, da proximidade e da história de cada um.

A equipa da ANIP (Associação Nacional de Intervenção Precoce), Patrícia Valério, Inês Marques, Rita Ângelo, Cristina Lopes e Diane Gouveia, esteve connosco na Semana da Leitura para nos ler este fantástico e diferente livro. Era completamente desconhecido “O que vês, o que vejo…” para alunos e alunas, professoras e professores. Aliás, não acreditavam que existia um livro ilustrado para cegos.
Este livro, com edição da ANIP, texto de autoria de Inês Marques e ilustração de Madalena Moniz, é o primeiro livro editado em Portugal com ilustrações tácteis, do tipo háptico, que mobiliza a leitura percetiva de crianças invisuais. Um livro que apela a leituras multissensoriais, sendo capaz de deixar “ler” crianças cegas que ainda não iniciaram os processos formais de leitura e escrita em braille. Uma narrativa que desenvolve a literacia emergente em crianças com cegueira e não só.
Como dizem: é que as crianças até aos 6 anos, que não sabem ler ainda em braille, tenham a oportunidade de, através das ilustrações tácteis, dos bonecos com braços que saltam da folha e se mexem, de um sol que se empurra da esquerda para a direita e de um girassol que gira, fazer uma leitura da imagem, tendo em conta aquilo que o texto lhe propõe.
A animação / promoção da leitura deste livro superou as nossas expetativas, desvendando-nos novas possibilidades de leituras e dando-nos a conhecer o desconhecido, um livro háptico. Da intervenção realizada, destacamos como mais significativo: a qualidade da intervenção da equipa que adaptou as dinâmicas da atividade às idades e sensibilidades das crianças, possibilitando-lhes um maior conhecimento e contacto com uma leitura diferente do habitual; a desconstrução do processo da leitura do livro ilustrado por um invisual; o conhecimento mais profundo de outra linguagem, o braille, do seu alfabeto e particularidades desta escrita; o contacto e utilização da máquina de escrita em braille; e, globalmente, o impacto que teve ao nível das aprendizagens relacionadas com o desenvolvimento pessoal e social.

Bem hajam pelo vosso excelente trabalho, gostámos de aprender convosco!


terça-feira, 27 de março de 2018

Poemário da árvore e outros



Iniciámos a Semana da Leitura 17-18 com uma HOMENAGEM À ÁRVORE, nas escolas de Lamas, Moinhos, Pereira, Rio de Vide, Semide e Vila Nova, do 1º CEB. Posteriormente, a atividade foi também desenvolvida com o 1º CEB da escola Ferrer Correia e com alguns alunos CEI da escola José Falcão.
As sessões, dinamizadas pela professora bibliotecária Maria José Vale, tiveram como objetivo levar os alunos e alunas a dialogar e refletir sobre os problemas da destruição das árvores, das florestas, dos incêndios florestais, apelando ao desenvolvimento do pensamento crítico dos alunos e alunas enquanto cidadãos e guardiões do futuro envolvendo-os em diferentes experiências de leitura, estimulando a intertextualidade entre diferentes autores.
Nesta homenagem dialogámos, recordámos e refletimos sobre este ser vivo que tanto nos dá e nada nos pede. É preciso olhar para ele e por ele!
A árvore, as árvores, as florestas, que todos os anos morrem, mais por descuidos do que por morte natural. As árvores que, todos os anos, os nossos alunos e alunas tão humanamente semeiam, plantam, cuidam e fazem crescer…, mas que é sempre insuficiente para encher o nosso olhar de verde e a nossa vida de plenitude. Como Matilde Rosa Araújo, na obra “Fadas Verdes”, há já muito tempo, nos tinha chamado à atenção no poema CORTAR:

Cortaram uma árvore
E a Terra chorou

Cortaram outra árvore
E a Terra chorou

E tantas árvores mais

E a Terra chorou
Chorar tanto também cansa
Quem pode enxugar as lágrimas
Da Terra cansada?

Nem as mãos de uma criança...

Este poema, entre outros mais, faz parte do “Poemário da Árvore”, um objeto-livro, construído para esta homenagem, que reúne um conjunto de textos poéticos de vários poetas e poetisas que nos deram a conhecer vários “sentires” sobre a árvore.
Para complementar estas leituras, chamámos “Cem Sementes que Voaram”, uma narrativa de Isabel Minhós Martins, com ilustração de Yara Kono.
(…) Um livro que traz a floresta para o centro das atenções, celebrando a resistência das sementes e a inteligência das árvores e da natureza.(…) é o que nos diz a editora Planeta Tangerina, responsável por esta edição.
Sublinhamos as palavras de Luisa Ducla Soares “Quem planta uma floresta, planta uma festa”!


HOMENAGEM À ÁRVORE







No âmbito da Semana da Leitura, a biblioteca escolar promoveu sessões de promoção/animação da leitura que levaram os alunos e alunas dos 5º e 6º anos de escolaridade a refletir sobre os problemas da destruição das árvores, das florestas, apelando ao desenvolvimento do seu pensamento crítico enquanto cidadãos e guardiões do futuro.
A atividade, concebida e dinamizada pela PB Maria José Vale, possibilitou envolver os alunos em diferentes experiências de leitura, estimular a intertextualidade em diferentes suportes de leitura, bem como promoveu a atitude dos alunos enquanto leitores e ouvintes ativos. As leituras incidiram sobre a temática da árvore, das florestas e dos incêndios florestais, a partir de livros narrativos e poéticos, jornais, vídeos e filme de animação.
A BE acredita que a fruição de eventos desta natureza, dinamizando diálogos sobre temáticas atuais, apoia a mobilização e a construção de saberes e o desenvolvimento integral do aluno.


quinta-feira, 15 de março de 2018

Semana da Leitura - Noitada de Jogos na BE

Semana da Leitura 17-18 - ADOLESCÊNCIA: IDADE DE DIFICULDADES OU DE OPORTUNIDADES





No próximo dia 24 de março, pelas 10h00, a psicóloga Rita Castanheira Alves vai estar à conversa na Biblioteca Municipal Miguel Torga para falar da “Adolescência: idade de dificuldades ou de oportunidades”.
Numa primeira parte, a psicóloga apresenta, com recurso a uma apresentação que será projetada, alguns dados importantes sobre a fase da adolescência e estratégias e dicas importantes e práticas para pais/cuidadores que lidam com filhos nesta fase. Numa segunda parte, a conversa é aberta a todos os participantes, para que possam expor as suas dúvidas.
Esta palestra tem como objetivo promover o conhecimento sobre as especificidades da fase da adolescência; proporcionar  estratégias e ferramentas preventivas na área da adolescência para pais/cuidadores; dar a conhecer o livro “Adolescência, os anos da mudança” aos pais/cuidadores, técnicos, professores/educadores e comunidade em geral.
Esta iniciativa está integrada no projeto "Filhos pais e muito mais: encontros sobre educação e parentalidade" promovido pela Biblioteca Municipal Miguel Torga e pelo setor de Ação Social do Município e CPCJ.

Desenvolvimento Emocional da Criança em Idade Pré-escolar

Semana da Leitura 17-18
À conversa com Rita Castanheira Alves
Desenvolvimento Emocional da Criança em Idade Pré-escolar




sexta-feira, 9 de março de 2018

Casa das Artes - Música em Família: UM passeio pelo jardim




A Primavera está quase a chegar e com ela os parques e jardins renovam-se, as flores, as cores e os aromas regressam na sua plenitude.
Venha passar uma manhã diferente com as suas crianças na Casa das Artes dando um “Passeio pelo jardim” com muitos sons coloridos à mistura.

Dia 17 de março, às 10h00 e às 11h00.

Bilhete família (até quatro elementos) - 3 euros (IVA incluído)
Inscrição no Portal do Munícipe http://www.cm-mirandadocorvo.pt
Para esclarecimentos contactar o telefone 239 530326 ou através do email: casa.artes@cm-mirandadocorvo.pt

Pelo Gabinete da Casa das Artes


BMMT - Ler em Família



Mais uma sessão do Ler em Família da Biblioteca Municipal Miguel Torga.






“O grande assalto ao queijo”  é a história bem humorada de um grande e forte elefante que mais parece um trator, mas que treme de medo de… ratos. E imaginem só um rato muito espertalhão a roubar o queijo do frigorífico do elefante.
Mas que história tão divertida para amanhã, sábado dia 10 de março (10h30),  que terminará literalmente com as famílias a meterem “as mãos no queijo”.
Para participar inscreva-se aqui.

Pela Equipa da Biblioteca Municipal Miguel Torga


segunda-feira, 5 de março de 2018

Clube de Leitura - Biblioteca Municipal



Dia 10 de março, pelas 14h30, há encontro marcado na Biblioteca Municipal Miguel Torga com o Clube de Leitura.
A obra de Ana Margarida Carvalho vai ser tema de debate e análise numa sessão para a qual gostaríamos muito de contar com a sua presença.

Pela Equipa da Biblioteca Municipal

Exposição de fotografia “Montanhas uma Paixão sem Limites”




Inaugura no próximo dia 9 de março, pelas 17h00 na Biblioteca Municipal Miguel Torga a exposição de fotografia de Carlos Dias “Montanhas uma Paixão sem Limites”.
Esta mostra fotográfica apresenta alguns trabalhos que espelham a sua paixão pelo ambiente mágico de montanha, registados não só no Parque Natural Serra da Estrela, como também noutros locais da Península Ibérica, tais como: Parque Nacional Peneda-Gerês, Parque Nacional Picos de Europa e Parque Natural Fuentes Carrionas e Montaña Palentina.
A exposição vai estar patente até 12 de abril 2018.


  “BIBLIOTECA ESCOLAR PROFESSOR SEIXAS” A biblioteca escolar da escola do 1º CEB de Miranda do Corvo – Centro Educativo, já tem id...