segunda-feira, 30 de março de 2015

Um livro vale sempre a pena!




"A vida mágica da sementinha" de Alves Redol vai ser o próximo livro a ler, na sala de aula. É um livro extraordinário! É lindíssimo! Pede-se aos alunos das turmas 5º A, 5º B e 5º C do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo que o comprem, caso possam. Custa 6,50 € e é editado pela Editorial Caminho. Como é um livro de leitura obrigatória para o 5º ano de escolaridade pode ser dedutível no IRS, por isso não se esqueçam de pedir o recibo. Esta mensagem foi-nos enviada pela professora de Português, Dr.ª Carmo Lindeza.

A equipa da Biblioteca Escolar

quarta-feira, 25 de março de 2015

Uma sala de aula assim, dava jeito...

     Na aula de Português planificou-se um texto descritivo, coletivamente.
     Em seguida, os alunos escreveram um texto individual, a partir da planificação feita.

     Eis três exemplos desta atividade de produção texto, nas turmas 5º A, 5º B e 5º C.

Morreu Herberto Helder - O poeta dos poetas

Morreu o poeta dos poetas. Podes consultar aqui mais informação sobre o autor.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Há Piratas na Biblioteca



Manuel António Pina, com a obra dramática Os Piratas, desafia ao jogo e permite aos alunos e alunas entrar na narrativa como se de uma aventura se tratasse. Uma aventura lúdica, uma viagem que as bibliotecas escolares organizaram, para as turmas do 6º ano, contribuindo desta forma para dar cumprimento ao proposto nas metas curriculares -  educação literária.    
Percorrer a trama/teia dramática a partir de um guião estimulante, um mapa de caminhos, que remete para a leitura, análise e compreensão desta viagem ao mundo fantástico de uma história misteriosa que se desvenda vagarosamente até chegar ao tesouro. O tesouro, chegando ao final com a possibilidade de aceitar que há mundos para além do que os sentidos nos mostram, há mundos fantásticos, mágicos, há mundos entre a ficção e a realidade a que devemos prestar atenção. É precisamente nesta focalização onírica que o autor nos desperta e divide entre o mundo da infância e da vida adulta, para pensarmos a nossa identidade, a nossa ilha, o que a rodeia, o que a aproxima, o que a afasta entre nós e os outros, os contactos, as pontes que estabelecemos, a comunicação que nos engrandece. São estes laços comunicacionais que fazem de nós piratas, que nos levam a apropriarmo-nos do ideário coletivo para (re)inventar os nossos quotidianos, para vivermos felizes entre os inevitáveis dois mundos que habitam e continuar a sonhar…
Para além desta “leitura”, sublinhamos também o facto de esta narrativa relembrar o contexto histórico-literário português, os descobrimentos, as aventuras marítimas, a pirataria, os naufrágios que o nosso mar inspira, cruzando outras leituras, outros autores, outras épocas. É, de facto, uma obra que cativa e merece uma leitura dinâmica e participada, porque: “Há pessoas que não acreditam em ilhas. Acham que as ilhas são coisas inventadas, em que só se acredita quando se é criança. Por isso, chega um dia em que julgam que já não são crianças e deixam de acreditar em ilhas. Outras pessoas pensam que uma ilha é uma terra rodeada de mar e de névoa por todos os lados. Todavia, no meio da névoa, dentro da ilha, está-se em muitas mais coisas que numa terra, pode até estar-se num sítio desconhecido dentro de nós. Chamo-me Manuel e vivo numa ilha, ou uma ilha vive em mim, não tenho a certeza, uma ilha rodeada de mar e de névoa por todos os lados, principalmente pelo lado de dentro.”

Da avaliação realizada, alunos, alunas e docentes destacam o aspeto lúdico e motivador associado à atividade, o trabalho em equipa, a possibilidade da leitura da obra integral e a atenção dada à leitura para se poder responder às questões colocadas, o procurar os livros e o procurar dentro do livro e viajar na história, um melhor conhecimento da biblioteca (zonas funcionais, classes da CDU e dos livros aí existentes) e a reflexão sobre a obra feita na parte final.

Semana da Leitura 2015 - Trabalho realizado a propósito da obra "A Casa Grande"

A turma do 3º A da EBI/JI Ferrer Correia realizou trabalhos, a partir da obra "A Casa Grande" de João Manuel Ribeiro, apresentados no Encontro com o Escritor realizado na Semana da Leitura 2015.
Podes consultá-los aqui:


Semana da Leitura - Trabalho realizado pela Turma B da EB1 de Moinhos

No âmbito da Semana da Leitura, a turma B da EB1 de Moinhos realizou um trabalho a propósito da obra "A Casa Grande" de João Manuel Ribeiro, que apresentou no encontro com o escritor. Para conheceres esse trabalho, podes visionar o vídeo que apresentamos.


quarta-feira, 18 de março de 2015

Semana da Leitura - trabalhos da turma 1º A da EBI/JI Ferrer Correia

Os trabalhos do 1º A da EBI/JI Ferrer Correia, a propósito da obra "Encrava-línguas",  embelezaram o auditório no encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, realizado no âmbito da Semana da Leitura 2015.

Semana da Leitura - 3º ano EB1 de Semide

A Casa Grande, de João Manuel Ribeiro, interpretada  pelos alunos do 3º ano da EB1 de Semide




Semana da Leitura - trabalho realizado pelos alunos do 2º ano da EB1 de Semide

Trabalho realizado pelos alunos do 2º ano da EB1 de Semide no âmbito da Semana da Leitura, a propósito da obra de João Manuel Ribeiro "Algazarra de versos".

Semana da Leitura - trabalho da turma A da EB1 de Semide

A propósito da obra "A bicicleta de vento e outras andanças" de João Manuel Ribeiro, os alunos da turma A da EB1 de Semide realizaram este interessante trabalho.

Semana da Leitura - trabalho realizado pela turma do 2º A do Centro Educativo

Trabalho apresentado pela turma do 2º A do CE/EB1 de Miranda do Corvo, no encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, no dia 6 de março, no âmbito da Semana da Leitura 2015 do concelho de Miranda do Corvo.

Semana da Leitura - Apresentação do JI de Espinho

Apresentação dos alunos do JI de Espinho no dia 5 de março, no encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, no âmbito da Semana da Leitura.

A casa grande vista pela turma A da EB1 de Moinhos


Semana da Leitura - Trabalho dos alunos do JI de Moinhos

Trabalho realizado pelos alunos do JI de Moinhos, apresentado no encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, realizado no âmbito da Semana da Leitura.


O espanta-pardais voador - a propósito da obra de João Manuel Ribeiro

Trabalho realizado pelos alunos da EB1 de Vila Nova, a propósito do encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, realizado na Semana da Leitura.

Adivinhas, a propósito da obra de João Manuel Ribeiro

Trabalho realizado pelos alunos da EB1 de Vila Nova, a propósito do encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, realizado na Semana da Leitura.

Rimas com os nomes dos meninos, a propósito da obra de João Manuel Ribeiro

Trabalho realizado pelos alunos da EB1 de Vila Nova, a propósito do encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, realizado na Semana da Leitura.

A propósito de "O rapaz da bicicleta de vento e outras andanças", de João Manuel Ribeiro

Os alunos do 4º B do Centro Educativo apresentaram um trabalho no dia 4 de março, no encontro com o escritor João Manuel Ribeiro, no âmbito da Semana da Leitura 2015, a propósito da leitura da obra "O rapaz da bicicleta de vento e outras andanças". Lê aqui o que eles fariam se tivessem uma bicicleta de vento...

Interpretação da obra "A casa grande" de João Manuel Ribeiro

No âmbito da Semana da Leitura, os alunos do 3º C fizeram a sua interpretação da obra "A casa grande" de João Manuel Ribeiro, que apresentaram no Encontro com o Escritor, no dia 6 de março.
Delicia-te com a imaginação destes pequenos leitores!

quinta-feira, 12 de março de 2015

Semana da Leitura no concelho de Miranda do Corvo

Uma semana em cheio à volta das leituras!

Semana de palavras lidas, explicadas, ditas, declamadas, musicadas e cantadas. Assim, foi a Semana da Leitura no concelho de Miranda do Corvo onde, ao longo de uma semana, se cruzaram várias formas de expressão e comunicação com as palavras como pano de fundo.
Eduardo Aroso convocou alguns poetas: António Nobre, Miguel Torga, Gabriela Mistral, António Gedeão e Afonso Duarte, o músico Álvaro Aroso e o cantor de fado de Coimbra, Victor Nunes, para acompanhar as leituras poéticas e reforçar a musicalidade da poesia, deliciando várias plateias de alunos e alunas no Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo.
O Grupo “Tertúlia do Fado de Coimbra” (constituído pelos irmãos Aroso e por Victor Nunes, já referidos) teve oportunidade de realizar um espetáculo no Centro de Dia da Fundação ADFP, “A guitarra e os poetas”, desta vez deleitando os mais idosos.
O grupo musical “Há Música na Aldeia”, constituído por Lara Santos- Cavaquinho; Ricardo Grácio- Bandolim, Guitarra Clássica e Flauta Transversal; Patrick Caldwell- Piano e José Nunes- Guitarra Portuguesa, entusiasmou uma plateia jovem com sonoridades bem portuguesas, numa viagem pelo cancioneiro popular, homenageando músicos e poetas populares.
O escritor João Manuel Ribeiro, excelente comunicador e contador de histórias, grande conhecedor da musicalidade das palavras, contribuiu para a promoção e dinamização da leitura e dos livros entre os nossos alunos e alunas. É de sublinhar o empenho e trabalho pedagógico desenvolvido pelas docentes com as turmas relativamente às apresentações alusivas à leitura e análise das obras do escritor realizadas em contexto de sala de aula.
O Departamento de Línguas teve uma participação muito ativa, desenvolvendo com turmas dos 2º e 3º CEB jogos lúdicos de leitura, atividades de leitura de autores e nas línguas estrangeiras lecionadas no Agrupamento de Escolas, bem como articulando experiências de leituras, em língua portuguesa, com as famílias dos alunos e alunas.
A dinâmica da animação da exposição de ilustração e do livro MAMÃ, de Mariana Ruiz Johnson, autora e vencedora, em 2013, do VI Prémio Compostela, realizada pela professora bibliotecária, possibilitou fazer uma viagem pela maternidade através da arte e da escrita.
Helena Serra e Fátima Almeida da Associação Dislex, de forma comunicativa e objetiva, apoiaram a comunidade educativa, docentes, pais e outros profissionais da educação, com informações relativas à problemática da dislexia na Escola e noutros contextos, aprofundando a temática e esclarecendo as dúvidas colocadas, de extrema validade tanto para o quotidiano familiar, como para o escolar.  
Renato Antunes da Fundação Francisco Manuel dos Santos, em protocolo com o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, dinamizou várias sessões de formação para turmas dos 3º CEB e ensino secundário, contribuindo para desenvolver literacias fundamentais do nosso tempo: a literacia digital, a estatística e a de informação, ao dar a conhecer as potencialidades da base de dados PORDATA.
Ana Filomena Amaral apresentou o seu novo livro, “O Cassador de Muros”, com a chancela da Chiado Editora, um romance em que há muros que oprimem em nome da paz, muros brutais no limiar do genocídio. O jornalista Alberto fez-se ao caminho, da Coreia à Irlanda do Norte, do Saara Ocidental à Palestina, de Caxemira ao México e ao Brasil. A longa odisseia do cassador de muros.
Patente na Biblioteca Municipal Miguel Torga esteve, e estará até ao final do mês de março, a exposição “Fazer Trinta por uma linha”, com ilustrações de algumas obras do escritor João Manuel Ribeiro, aguardando mais visitas, quer dos Jardins de Infância e das Escolas, quer da comunidade.
Durante esta semana os alunos e alunas tiveram a oportunidade de visitar a Feira do Livro, que transitou entre a Escola EB 2.3 C/ Sec. José Falcão, a Escola EBI/JI Ferrer Correia e o Centro Educativo.
A organização esteve a cargo do Grupo de Trabalho Concelhio da Rede de Bibliotecas de Miranda do Corvo, do Departamento de Línguas e do Departamento do Ensino Especial.

A todos e todas que contribuíram para o sucesso desta Semana, onde ouvir, ouvir ler e ler foi dominante, muito obrigado!

quarta-feira, 11 de março de 2015

Exposição de ilustração da obra MAMÃ - Semana da Leitura


Abrimos o mês de Março como se fosse Maio, homenageando as MAMÃS. Só Maio é pouco tempo … pois todos os dias, todos os meses, todos os anos, nunca chegarão para acarinhar, afagar e mimar este ser único que nos guia com mestria pelo mundo fora.
Mariana Ruiz Johnson, autora e vencedora em 2013, do VI Prémio Compostela com a obra Mamã, editado pela Kalandraka, desperta-nos os sentidos para as cores e emoções que só as mamãs sabem, tão bem, fazer sentir.
Uma viagem pela maternidade, pela arte e pela escrita, em texto curto, para que possamos também nós, ler o que as nossas viagens nos desafiam e motivam.
Como Pedro Silva escreveu, este livro é uma pequena ode ao amor e à vida, desvendando a passagem pelo ventre, o mistério do nascimento, a ternura da amamentação, o crescimento, o amor, a aprendizagem e as zangas, até ao momento em que os filhos atingem a sua independência.
Convidamos toda a comunidade educativa a olhar para esta profusão cromática, para este hino à maternidade, para este livro.
Mamã adoro-te!








Formação PORDATA no Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo



Integrada na Semana da Leitura, a Biblioteca Escolar (BE) desenvolveu várias sessões centradas na literacia informática – PORDATA.
A PORDATA é uma base de dados estatística, sobre Portugal contemporâneo, que abrange diferentes temas como: população, educação, saúde, turismo, emprego, justiça social, entre outros, bem como da Europa.
Esta base de dados é da responsabilidade da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) que recolhe dados de fontes credenciadas e fidedignas, organiza-os e divulga-os ao público em geral. Trata-se de uma ferramenta digital indispensável para o desenvolvimento de estudos e análises em qualquer área do conhecimento e concretamente nas escolas é uma mais-valia a nível curricular.
O reconhecimento das potencialidades desta base de dados suscitou a parceria entre a FFMS e o Gabinete da RBE (Rede de Bibliotecas Escolares), delineando uma ação formativa nas escolas. Assim, no âmbito do trabalho curricular e com objetivo de proporcionar, a alunos e professores, as competências necessárias para explorar os recursos e as potencialidades pedagógicas da PORDATA, bem como contribuir para desenvolver literacias fundamentais do nosso tempo: a literacia digital, a estatística e a de informação, várias turmas do 3º ciclo e ensino secundário participaram nesta formação, no âmbito das disciplinas de Geografia e de Turismo. O balanço é francamente positivo tanto para alunos, como para professores. Da avaliação realizada destacamos: a explicação clara e enriquecedora na utilização de uma ferramenta (base de dados) muito importante para as aulas de Geografia e realização de todas as tarefas de sala de aula; o formador com grande domínio nas diferentes temáticas da base de dados; a excelente ferramenta de consulta e análise de dados (a maioria deles de natureza geográfica) fundamentais para à formação de cidadãos capazes de pensar a realidade dos territórios em diferentes escalas de análise.


terça-feira, 10 de março de 2015

Encontro com o escritor JOÃO MANUEL RIBEIRO



É surpreendente e coerente o percurso biográfico deste escritor, investigador, editor, e professor, considerado como «um dos mais promissores autores de poesia para a infância» da actualidade.
Nasceu em Oliveira de Azeméis, em 1968.
O seu percurso académico superior inicia-se na área da Teologia, na Universidade Católica Portuguesa do Porto, onde se licencia e apresenta a tese de mestrado sobre “Um Itinerário da Modernidade em Portugal – A Evolução Espiritual de Antero de Quental”.
Posteriormente, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, continua os seus estudos superiores onde desenvolve investigação à volta da poesia, concluindo dois ciclos académicos: mestrado e doutoramento defendendo nomeadamente os seguintes trabalhos: dissertação sobre «A Poesia no 1.º Ciclo do Ensino Básico – Das Orientações Curriculares às decisões docente» na área de Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores e tese de doutoramento, «A Poesia na Escola – Resposta ao texto poético e organização do ensino».
Ainda no âmbito do trabalho académico que tem desenvolvido é-lhe atribuído o título de master em libros y literatura infantil y juvenil, pela Universitat Autònoma de Barcelona, com a monografia sobre «A Poesia para a infância e juventude de Vergílio Alberto Vieira: entre tradição e modernidade».
Presentemente lecciona na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, e continua a escrever tanto para adultos como para crianças, acompanhando tal processo com um trabalho de dinamização da literatura nas escolas.
Tem sempre procurado despertar nas crianças a paixão pela fantasia que o seu avô lhe deu. Foi o seu avô que o inspirou a escrever Meu Avô Rei de Coisa Pouca, e que o leva a comentar: Até hoje foi o livro que me deu mais prazer escrever. É o meu primeiro 'romancezinho'. E o avô da história é o meu. Passei a minha infância com ele. Era um homem fantástico, passava a vida a contar-me histórias, rimas, lengalengas. Cresci com a fantasia que o meu avô me pôs na cabeça. Quando comecei a escrever para crianças, impôs-se a necessidade de testemunhar a paixão pela fantasia que ele me deu.
Tem publicados mais de três de dezenas de títulos de Literatura Infanto-Juvenil, repartidos entre a poesia e a narrativa, está representado em várias Antologias e em Manuais Escolares, Gramáticas e Livros de Actividades.
É formador de professores e de formadores, sendo ainda formador da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas.
Dinamizou projectos de escrita colaborativa com alunos, resultando desse processo alguns livros, concretamente Raras Aves Raras (2010), Quem do Alto Olhar (2011), Viagem às Viagens (2011).
Prossegue a sua actividade de investigação e de crítica na área da Literatura Infantil e Juvenil, com a publicação de artigos, promoção e participação em eventos científicos e publicação dos livros: Palavra de Criança não está poluída - A Obra Infantil e Juvenil de Sidónio Muralha (2013); Pensamento que respira e palavra que arde - A poesia infantil e juvenil portuguesa (2014).
Sendo um excelente comunicador, a sua participação na Semana da Leitura do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo é um valioso contributo para a promoção e dinamização da leitura e dos livros entre os nossos alunos e alunas. Como o próprio afirma a questão da leitura e dos livros é uma questão ampla de matriz educacional que passa pela transmissão de saber, pelo “ensinar a pensar”, pelo “ajudar a descobrir”, pela cultura da exigência (…). A leitura e o livro são fundamentais — são uma questão antropológica: sem leitura de livros o Homem teria outra configuração, seria outro Homem.[1]
Bem-haja pelo trabalho desenvolvido!

As professoras bibliotecárias
Alice Alves e Maria José Vale





[1] http://www.livroseleituras.com/web/index.php?option=com_content&view=article&id=772:joao-manuel-ribeiro-qa-blogosfera-e-um-espaco-publico-de-oportunidadesq&catid=64:escritores&Itemid=175

sexta-feira, 6 de março de 2015

Sessão de sensibilização “A dislexia na escola”




No âmbito da Semana da Leitura foi organizada uma ação de sensibilização sobre dislexia na escola, destinada a docentes, no dia 4 de março, no auditório da EB 2.3 C/ Sec. José Falcão, em Miranda do Corvo. A acção foi organizada pelas Bibliotecas Escolares em articulação com o Grupo de Educação Especial. A dinamização esteve a cargo da Dr.ª Fátima Almeida, vice-presidente da Associação DISLEX, que começou por explicitar os objetivos da instituição, bem como o tipo de ações de formação que concretiza.
Com um estilo comunicativo muito transparente e objetivo, seguro e sabedor, a Dr.ª Fátima Almeida centrou-se inicialmente na explicitação do conceito “dislexia”, acentuando o facto de o défice na área fonológica ser, muitas vezes, inesperado relativamente a outras habilidades cognitivas. Estabeleceu uma articulação entre a dislexia e a disortografia, salientando que esta pode não estar associada àquela, mas que a dislexia quase sempre vem associada à disortografia.
Após a clarificação do conceito, a comunicadora enfatizou os indicadores da dislexia, conhecimento muito útil a um educador, chamando a atenção para a importância de uma intervenção precoce nesta área, relembrando que não se deve ficar à espera do diagnóstico para intervir, apesar de também ter considerado que nunca é tarde para intervir.
A dinamizadora centrou, igualmente, a sua comunicação nas medidas educativas do Decreto – Lei 3/2008, de 7 de janeiro, a implementar junto de alunos com dislexia, nomeadamente a alínea a) Apoio Pedagógico Personalizado; a alínea d) Adequações no processo de avaliação e a alínea f) Tecnologias de Apoio (artigo 16º). Estas dicas/estratégias mais práticas revelar-se-ão muito úteis aos docentes na sua prática letiva quando se confrontam com a dislexia nos seus grupos/turmas.
Apesar de esta ação de sensibilização não estar dirigida especificamente a docentes do ensino especial, mas aos docentes em geral, não impediu que a formadora abordasse, ainda que de uma forma geral, o seu papel na escola.
Mesmo sendo apenas uma ação de sensibilização, portanto, de curta duração (cerca de 1h30m), esta sessão revelou-se de extrema validade para a prática docente, por isso a organização deixa uma palavra de muito agradecimento à Associação DISLEX e, mais especificamente, à Dr.ª Fátima Almeida.
Para os que não tiveram oportunidade de estar nesta ação poderão estar no próximo sábado na Biblioteca Municipal de Miranda do Corvo, onde decorrerá uma sensibilização nos mesmos moldes, dinamizada pela Doutora Helena Serra, presidente da DISLEX.


Alice Alves e Maria José Vale (Professoras Bibliotecárias) e Isabel Borges (Docente de Educação Especial)

quinta-feira, 5 de março de 2015

Personalidade do Mês de Março

Maria de Lourdes Pintasilgo foi a personalidade escolhida para o mês de março pelas BE do AEMC.

Semana da Leitura - Há Música na Aldeia!

O Grupo  “Há Música na Aldeia”, constituído por   Lara Santos: Cavaquinho; Ricardo Grácio: Bandolim, Guitarra Clássica e Flauta Transversal; Patrick Caldwell: Piano e José Nunes: Guitarra Portuguesa, é um grupo que pretende criar uma Escola de Música na aldeia do Vidual. Este grupo de jovens pretende revitalizar o lugar, dando-lhe mais vida e sabor através da música. Foi um pouco desse sabor que eles nos proporcionaram no dia 3 de março, no auditório da EB 2.3 C/ Sec. José Falcão, entusiasmando uma plateia jovem com sonoridades bem portuguesas. Presentearam-nos com Carlos Paredes, João Bagão, … e várias canções tradicionais. No final ainda houve tempo para apresentar cada instrumento, mostrando as suas origens e particularidades.
Para eles o nosso muito obrigado, pois deram vida, cor e sabor a esta Semana da Leitura!

As professoras bibliotecárias

Alice Alves e Maria José Vale


quarta-feira, 4 de março de 2015

Semana da Leitura - Cinco Poetas e Uma Guitarra

Cinco poetas e uma guitarra
(ao qual juntámos + 1)

Eduardo Aroso, licenciado em ensino da música, músico, poeta, docente aposentado, tendo exercido funções na escola Dr. Ferrer Correia, colaborou na dinamização da Semana da Leitura, no qual participaram turmas do 2º, 3º ciclo e secundário, nos dias 2 e 3 de Março, no Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo.
Nas sessões por si dinamizadas, convocou cinco poetas: António Nobre, Miguel Torga, Gabriela Mistral, António Gedeão e Afonso Duarte. Tendo ainda convidado outro músico, Álvaro Aroso, e o cantor de fado de Coimbra, Victor Nunes, para acompanhar as leituras poéticas e reforçar a musicalidade da poesia.
Ao longo de mais de uma hora, as palavras dos poetas, tornadas poemas, foram lidas de forma lenta, cadenciada, rápida, assustada, alegre, admirada, interrogada, encontrando expressividade, interpretando o escondido percurso dos poetas, criando imagens e cenários, descodificando, abrindo caminho a nova informação e a novas leituras, desencadeando experiências emocionais singulares.
Durante as sessões, convocamos outro poeta a dizer “presente”, Eduardo Aroso, que foi trazido pela voz dos alunos e alunas presentes, recordando textos poéticos do primeiro livro que editou em 1982, “A poesia vai à escola”, homenageando desta maneira o nosso convidado, face a face com a sonoridade da sua criação poética.
Ouvir ler e ler foi dominante.
Muito obrigadas pela vossa participação, pelo impulso à leitura e aos poetas que nos acompanharam.

As professoras bibliotecárias

Alice Alves e Maria José Vale

Feira do Livro - EBI/JI Ferrer Correia