terça-feira, 27 de março de 2018

Poemário da árvore e outros



Iniciámos a Semana da Leitura 17-18 com uma HOMENAGEM À ÁRVORE, nas escolas de Lamas, Moinhos, Pereira, Rio de Vide, Semide e Vila Nova, do 1º CEB. Posteriormente, a atividade foi também desenvolvida com o 1º CEB da escola Ferrer Correia e com alguns alunos CEI da escola José Falcão.
As sessões, dinamizadas pela professora bibliotecária Maria José Vale, tiveram como objetivo levar os alunos e alunas a dialogar e refletir sobre os problemas da destruição das árvores, das florestas, dos incêndios florestais, apelando ao desenvolvimento do pensamento crítico dos alunos e alunas enquanto cidadãos e guardiões do futuro envolvendo-os em diferentes experiências de leitura, estimulando a intertextualidade entre diferentes autores.
Nesta homenagem dialogámos, recordámos e refletimos sobre este ser vivo que tanto nos dá e nada nos pede. É preciso olhar para ele e por ele!
A árvore, as árvores, as florestas, que todos os anos morrem, mais por descuidos do que por morte natural. As árvores que, todos os anos, os nossos alunos e alunas tão humanamente semeiam, plantam, cuidam e fazem crescer…, mas que é sempre insuficiente para encher o nosso olhar de verde e a nossa vida de plenitude. Como Matilde Rosa Araújo, na obra “Fadas Verdes”, há já muito tempo, nos tinha chamado à atenção no poema CORTAR:

Cortaram uma árvore
E a Terra chorou

Cortaram outra árvore
E a Terra chorou

E tantas árvores mais

E a Terra chorou
Chorar tanto também cansa
Quem pode enxugar as lágrimas
Da Terra cansada?

Nem as mãos de uma criança...

Este poema, entre outros mais, faz parte do “Poemário da Árvore”, um objeto-livro, construído para esta homenagem, que reúne um conjunto de textos poéticos de vários poetas e poetisas que nos deram a conhecer vários “sentires” sobre a árvore.
Para complementar estas leituras, chamámos “Cem Sementes que Voaram”, uma narrativa de Isabel Minhós Martins, com ilustração de Yara Kono.
(…) Um livro que traz a floresta para o centro das atenções, celebrando a resistência das sementes e a inteligência das árvores e da natureza.(…) é o que nos diz a editora Planeta Tangerina, responsável por esta edição.
Sublinhamos as palavras de Luisa Ducla Soares “Quem planta uma floresta, planta uma festa”!


Sem comentários:

Enviar um comentário

OFICINA CRIATIVA

No próximo sábado dia 23 de junho, pelas 11h, vai decorrer na Biblioteca Municipal Miguel Torga a Oficina Criativa "Canto e Enc...