terça-feira, 9 de junho de 2015

A propósito de "A maior Flor do Mundo"...

A MAIOR FLOR DO MUNDO





Como tudo começou …
Chegadas, um dia de inverno, à escola do 1º CEB de Miranda do Corvo, fomos inesperadamente conquistadas pelas cores, formas, volumes e até cheiros imaginados, que as salas do 4º ano deixavam escapar dos conjuntos de flores que profusamente coloriam os espaços. Logo ficámos a saber que todo aquele colorido, impulsionado pelas professoras, fora obra de alunos, alunas e respetivos encarregados de educação, para homenagear a obra de José Saramago, “A Maior Flor do Mundo”, que tinham lido.
Logo nos surgiu a ideia de fotografar aquele imenso jardim, e nos veio à memória o desafio que o autor, no final da obra, nos lança: Este era o conto que eu queria contar. Tenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças. Mas ao menos ficaram sabendo como a história seria, e poderão contá-la doutra maneira, com palavras mais simples do que as minhas, e talvez mais tarde venham a saber escrever histórias para crianças… Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?...
E desta forma surgiu o pretexto da escrita, a vontade de registar sobre a forma de acróstico, a partir do título “A Maior Flor do Mundo”, a poeira da leitura da obra, captando as vivências de cada aluna e de cada aluno bem como das suas famílias que empenhadamente se mobilizaram neste jogo de escrita.
Testemunhamos o profissionalismo e empenho das professoras e confirmamos que, quando bem motivados, docentes, encarregados de educação, alunos e alunas se envolvem em projetos conjuntos promotores da literacia, das leituras, da escrita, bem como de outras formas de expressão e comunicação.
Da parte da biblioteca escolar estamos gratas por termos também participado nesta construção e de alguma maneira termos contribuído para fortalecer as dinâmicas à volta da escrita e da leitura.
Gostaríamos ainda de relembrar que a obra A MAIOR FLOR DO MUNDO, antes de ser a maior flor do mundo, foi “ História para Crianças”, uma crónica publicada nos anos 60, no Jornal do Fundão, que integra a compilação de crónicas “Bagagem do Viajante”.
Aqui fica o testemunho de um trabalho que vale a pena continuar e certamente servirá de estímulo a muitos outros!

As professoras bibliotecárias: Alice Alves e Maria José Vale

Sem comentários:

Publicar um comentário

Louco como Eu

  Com Susana Moreira Marques "Joyce Carol Oates disse uma vez que quando os escritores perguntam uns aos outros a que horas começam a e...