sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Boas Festas com Boas Leituras


Boletim das Bibliotecas do 1º Período

Documento elaborado no âmbito da atividade Ler no Natal

Ficheiro elaborado para trabalhar com turmas a partir do 2º CEB no âmbito da atividade Ler No Natal.


Os livros e o Natal

Correspondendo ao pedido  pela  Biblioteca Escolar Manuel Alegre, e com a cumplicidade da professora de Português, Irisalva Carvalho, a aluna monitora da BE Maria João Santo, nº  30 do 10º A, redigiu o texto que apresentamos:


Já tinham passado alguns dias. Continuava ali no escuro do sótão: aberto e entalado sobrevivia num baú de velhos álbuns de fotografia. Onde só se ouviam os barulhos do piso de baixo, mas abafados como se estivessem muito longe de todo este mundo.
Um dia, ouvi um ruído mais vivo, um som metálico, um trinco. Antes que pudesse perceber o que se estava a passar as luzes acenderam e olhei à minha volta de olhos semicerrados para me conseguir habituar à claridade. Percebi a silhueta de uma menina cada vez mais nítida: de cabelos loiros e ondulados, olhos cor de avelã. Devia ter os seus seis, sete anos. O seu olhar parecia procurar alguma coisa. Estudava cada caixa poeirenta do sótão antigo e desgastado. De repente, os seus olhos pousaram numa grande caixa de cartão, daquelas caixas que serviram outrora para colocar eletrodomésticos novinhos em folha. Num dos lados da caixa, escritas numa letra apressada com um marcador preto grosso estavam as palavras “Decorações de Natal”. Logo reconheci aquela palavra que constava também da minha capa de feltro vermelho em letras douradas e desenhadas a rigor. Antes que pudesse pensar noutra coisa, as mãos de prata da rapariguita acariciaram as minhas folhas amareladas e a cheirar a mofo. Com um puxão fui libertado da minha semi-prisão do baú e agarrado com firmeza nas mãos da menina. Com cuidado, passou a mão pequenina pelas letras douradas do título. Sorriu e desceu as escadas. Lá, cheirava a biscoitos de gengibre e o calor vindo de uma grande lareira era acolhedor. Sentia-me mu8to melhor do que quando estava naquele sótão frio. Fui levado por um grande corredor até um quartinho decorado a cor-de-rosa. Tinha um tamanho razoável para uma menina de seis anos. No chão viam-se espalhados alguns brinquedos. Ela sentou-se na cama e depois, com um brilho de emoção nos olhos abriu-me. Folheou as minhas páginas parando de vez em quando nos desenhos a aguarela. Não me consegui conter: “Olá!”. Com um safanão fui largado acabando por cair. Decidi, então, insistir numa tentativa de acalmar a rapariguita: “Não tenhas medo, não te vou fazer mal.”. O olhar aterrado pareceu desvanecer aos poucos, dando lugar à curiosidade.
- Quem és tu? – perguntou na sua vozinha terna com um tom infantil.
- Eu? Eu sou um livro!
-Ahahah… Isso eu já sei… Mas és um livro de quê?
- Eu sou um livro de contos. De contos de Natal.
- A sério? E contas histórias sobre o menino Jesus e a sua mãe virgem Maria?
- Sim, mas também sobre candelabros de 9 velas, botas cheias de guloseimas e lamparinas alimentadas a óleo de mostarda.~
- Mas isso não são contos de Natal!
- Ai não? Então achas que o Natal é só para aqueles que celebram o nascimento do menino Jesus?
- Sim! Para que mais poderia servir? Para além das prendas, é claro!
- O Natal serve para abrirmos os nossos corações e darmos um bocadinho deles aos outros. Serve para recompensar os que foram corretos e…
- Ah mas esse é o trabalho do Pai Natal! - interrompeu a voz imatura.
- Todos nós podemos ser Pais Natal e vez em quando e, principalmente, em alturas como estas e dar algo que os outros precisem.
- Então donde vêm essas histórias todas?
- Vêm da Índia, da Judeia ou até mesmo de Portugal. Pode não ser o Natal que celebras, mas todos os povos do mundo têm uma festa de dedicada à generosidade.
- Olha que tu até tens razão… Se tens histórias tão fantásticas como é que foste parar ao meu sótão?
- Sabes, há muitas pessoas que não aceitam tão bem essa ideia de haver mais Natais para além do nosso, como tu. Para essas pessoas as minhas histórias não estão corretas e, por isso, há muito tempo, atiraram-me para o teu sótão.
- Mas se o Natal é uma altura de dar e receber, todos nós deveríamos ter o direito a isso.
- Pois, mas na realidade não é bem assim.
-E não te sentiste sozinho lá no frio do sótão?
- Sim, muito triste. Eu quero ser lido por muitos e meninos e meninas como tu para eles poderem conhecer o verdadeiro significado do Natal.
- Ah! Eu sei de um sítio assim! Na biblioteca da minha escola há prateleiras cheias de livros e cada um conta uma coisa diferente. Por acaso não achas que poderias lá estar?
- Eu gostava muito! Mas porquê?
- Bem, é Natal e esta conversa sobre dar um bocadinho de nós aos outros, deu-me vontade de te levar para lá para que inspires mais rapazes e raparigas.
Eu olhei-a com um sorriso n capa e antes que pudesse dizer mais alguma coisa a mãe da rapariguita entrou no quarto.
- Mãe! Mãe! Podemos levar este livro que eu encontrei no sótão para a biblioteca? – perguntou entusiasmada a menina.
- Claro, filha – a mãe sorriu e passou-lhe a mão pelos caracóis- mas agora vai lavar as mãos para ires jantar – e saiu do quarto. A pequena olhou-me mais uma vez.
- É verdade, não sabes quem te atirou para o sótão? – perguntou.
- Ah, era uma senhora chamada Assunção.
- Mas essa é a minha avó…”


Ler No Natal







As atividades de promoção/animação da leitura Ler no Natal foram desenvolvidas na educação pré-escolar, 1º e 2º CEB e ensino secundário, a partir de três obras: O Cavalinho de Pau do Menino Jesus, Nasceu o Menino Jesus; Hoje é Natal! e Uma fé como a minha: As principais religiões do mundo vistas pelas crianças. O Cavalinho de Pau do Menino Jesus é o título do livro que, para além desta, integra outras duas histórias natalícias, do escritor e poeta português, já falecido, Manuel António Pina, ilustrado por Inês do Carmo. A leitura desta obra desafia os leitores, sejam crianças, jovens ou adultos, a situar-se entre o sagrado e o profano, o religioso e o lúdico, entusiasmando quem lê e captando a atenção de quem ouve, onde a ironia, a sátira e a diversão discorrem em harmonia, proporcionando uma fantástica ficção à volta do Natal. Nesta narrativa assistimos aos preparativos, à viagem, e às peripécias, por que passa o Pai Natal quando resolve ir até Belém para presentear o Menino Jesus, aquando do seu nascimento, com um cavalinho de pau. Nasceu o Menino Jesus de Dick Bruna (texto e ilustração) é um livro que aborda de forma simples o nascimento do Menino Jesus e serviu de mote introdutório à leitura da obra de Manuel António Pina. Hoje é Natal!, escrito por José Vaz e ilustrado por João Caetano, fala-nos sobre o espirito de Natal, envolvendo as festividades desta época numa dimensão humanista. Uma fé como a minha: As principais religiões do mundo vistas pelas crianças de Laura Buller, um livro informativo que apoiou o conhecimento sobre as religiões. A animação/promoção da leitura à volta destas obras levou-nos a explorar a dimensão religiosa, festiva e lúdica do Natal. Partindo do diálogo sobre os pressupostos religiosos explícitos nas histórias, o cristianismo, aprofundámos o conhecimento sobre os aspetos de outras culturas religiosas, dando a conhecer aos alunos e alunas algumas religiões do mundo: cristianismo, islamismo, budismo, hinduísmo e judaísmo. A ludicidade, também presente nestas atividades, para promover a aprendizagem do poema “Cavalo”, através das formas de expressão/comunicação: dramática e musical, apelou à mobilização das sonoridades corporais e cumpriu o objetivo.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Desenho vencedor do concurso para criação de um cartão de Natal

As bibliotecas escolares lançaram o desafio aos alunos para criação de um “Cartão de Natal”, a utilizar pelos Órgãos de Gestão do Agrupamento nas suas felicitações natalícias.
Responderam ao desafio algumas turmas da EB1 Nº1 de Miranda do Corvo, as turmas do 1º CEB da EBI/JI Ferrer Correia, uma turma da EB1 de Rio de Vide e a EB1 de Lamas. Foram analisadas 82 propostas de trabalhos plásticos. Da análise efetuada o júri decidiu destacar e eleger o trabalho da autoria da aluna Rita Carvalho Antunes, nº 22, do 1º ano, que frequenta a EB1 Nº 1 de Miranda do Corvo (Centro Educativo).
A distinção deste trabalho deve-se aos seguintes fatores: o trabalho integra os símbolos natalícios mais significativos: o coração, símbolo do amor; a estrela, simbolizando a luz; a bola, evidenciando a globalidade das relações entre qualquer cultura religiosa. Ao nível artístico, destaca-se pela autenticidade, criatividade e qualidade da representação gráfica infantil, situada no nível etário correspondente, bem como da simplicidade dos elementos representados e da cor que dá força e luminosidade. Por todos estes motivos analisados, o júri foi unânime na decisão.

Parabéns  à vencedora!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Contador de histórias Pedro Simões no Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo


Animadas sessões nos auditórios das escolas José Falcão e Ferrer Correia e na cantina do Centro Educativo com o ator / contador de histórias Pedro Simões. Os alunos da educação pré-escolar e do 1º ciclo ouviram, cantaram e mimaram, com entusiasmo, a história, poema e canção referente ao ciclo do chocolate da coleção “Onde Vamos Hoje” de Cristina Quental e Mariana Magalhães.
Alunos e alunas e docentes destacaram o desempenho expressivo da leitura do contador, conduzindo-nos para outras leituras que a coleção sugere, permitindo-nos conhecer o ciclo vida de outros elementos.
 Alguns alunos disseram que a palavra que escolheriam para caracterizar a sessão era “Muito obrigado!” e “Adorei!”. Os docentes foram unânimes em enfatizar a boa interação estabelecida, nas 6 sessões, entre o ator e as crianças, bem como a participação ativa e entusiástica dos alunos e alunas e o carácter pedagógico da intervenção, nomeadamente na aprendizagem da canção que vem no final do livro e a boa interpretação/entoação do ator, que mudava a voz consoante as personagens. Com efeito, considerou-se que ele conseguiu entrar no espírito das crianças, que foi uma sessão animada, divertida, motivadora, atrativa, interessante, fantástica, interessante, engraçada, “fixe”, gira, que deu vontade de comer chocolate, bonita, onde as crianças riram muito e as piadas eram engraçadas… de facto, a maioria referiu ter sido uma forma diferente de abordar e dar a conhecer um livro.

No final, os alunos e as alunas sentiram-se motivados a adquirir alguns títulos da coleção que, em algumas sessões, foi bastante gratificante.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

PUREZA LOPES LOYOLA


Tendo em conta várias efemérides celebradas em dezembro ligadas aos Direitos Humanos, e destacando o Dia Internacional para a Abolição da Escravatura,  as BE do Agrupamento optaram por apresentar Pureza Lopes Loyola - Prémio Internacional contra a Escravidão 2013, como Personalidade do Mês de Dezembro.

Luísa Ducla Soares

Continuando a tradição de selecionar autores propostos pelas Metas Curriculares do Português na rubrica "Autor do Mês",  em dezembro as BE optaram pela escritora Luísa Ducla Soares.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Onda Pina - a poesia em movimento


As bibliotecas escolares do Agrupamento de Miranda do Corvo decidiram juntar-se à iniciativa do Museu Nacional da Imprensa, para assinalar o 71.º aniversário do nascimento (18.nov.1943) do jornalista e escritor Manuel António Pina, Prémio Camões 2011.

Falecido em 2012, Manuel António Pina deixou uma obra singular, no campo da poesia, da crónica, da literatura infanto-juvenil e do teatro.

A iniciativa é designada de ONDA PINA - A POESIA em MOVIMENTO e envolveu escolas e universidades de Portugal e dos países de língua oficial portuguesa, bem como escolas/centros de Português de outros países.

No dia 18 de novembro leram-se vários poemas de Manuel António Pina em salas de aula do Agrupamento. Às bibliotecas associaram-se professores do 1º CEB, bem como docentes de Português dos 2º e 3º CEB e ensino secundário. Para além da leitura, foram expostos poemas nas bibliotecas escolares e nas portas das salas de aula.

Desta forma, o Agrupamento prestou o seu tributo a um grande vulto da cultura portuguesa, cuja obra merece ser lida e relida, e relida, …

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Comemorações no Mês Internacional das Bibliotecas Escolares








Este ano letivo, em Outubro, a partir do lema: A Tua Biblioteca Escolar: um mapa de ideias, as comemorações do MIBE integraram um conjunto diversificado de atividades relacionadas com a formação de utilizadores, a promoção/animação da leitura, bem como as dinâmicas que envolveram o lançamento do concurso para a angariação de monitores para as bibliotecas escolares, o concurso para a criação do logótipo de identificação das bibliotecas escolares e o lançamento da proposta para atribuição de um patrono à biblioteca escolar do Centro Educativo.
No que diz respeito à formação de utilizadores e literacia da informação, atividade desenvolvida com os alunos e alunos da educação pré-escolar, 1º, 2º e 3º CEB, as visitas guiadas às bibliotecas escolares e municipal permitiram conhecer os espaços funcionais e o modo como estes estão organizados, a organização do fundo documental segundo a CDU (classificação decimal universal) e uma reflexão em torno da importância do livro e da sua complementaridade com as novas tecnologias.

A promoção/animação da leitura, apoiada em estratégias dramatizadas e através da personagem senhora BIB, apresentou e leu obras relacionadas com a temática do funcionamento das bibliotecas e os livros, os mapas conceptuais das bibliotecas e a organização do fundo documental segundo a CDU adaptado a uma paleta de cores.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dia da Biblioteca Escolar

O mês de outubro é consagrado, internacionalmente, à comemoração das bibliotecas escolares; apesar disso, há um dia específico dedicado a essa comemoração que, no presente ano, se celebra hoje, dia 27. As BE do AEMC decidiram assinalar este dia com a divulgação da Carta dos Direitos das Bibliotecas Escolares, que aqui te apresentamos:

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Concurso para angariação de alunos amigos/monitores das BE

Durante esta semana podes inscrever-te nas bibliotecas da José Falcão e da Ferrer Correia para exercer a função de aluno monitor da BE. Procura mais informações e inscreve-te na tua Biblioteca.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Concurso para a Criação de um Logotipo das Bibliotecas do Agrupamento

Apresentamos o regulamento do concurso para criação de um logotipo das bibliotecas do Agrupamento.

Contamos com a tua participação!

A equipa coordenadora das bibliotecas escolares

Guião para pesquisar na internet

A internet é atualmente a tecnologia mais usada para pesquisa da informação, comunicação e entretenimento em todo o mundo. De facto, à distância de um clique estão biliões de páginas com informações, jogos, redes sociais, … por isso, podes passar horas a navegar na net, seguindo links de umas páginas para outras.

Contudo, a informação disponível está desorganizada e dispersa e, muitas vezes, está desatualizada ou é efémera. Assim, a  equipa das bibliotecas escolares elaborou  um guião com um conjunto de procedimentos que te poderão ajudar nessa tarefa, tornando a pesquisa mais eficaz. 
Boa pesquisa! 



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Prémio Nobel da Literatura 2014

 
 
 

A Academia Sueca atribuiu nesta quinta-feira, dia 9,  o Prémio Nobel da Literatura ao escritor francês Patrick Modiano, considerado por alguns críticos o mais importante escritor francês vivo, destacando o modo como a sua “arte da memória evoca os mais inefáveis destinos humanos e desvela o mundo da ocupação”. Isto é, da ocupação alemã da França durante a Segunda Guerra, um tópico recorrente na obra de Modiano, filho de uma atriz flamenga e de um judeu de origem italiana.

Patrick Modiano, nascido em Boulongne-Billancourt, nos arredores de Paris, em 1945, publicou o seu primeiro romance, La Place de l'Étoile, em 1968.


Fonte: http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/nobel-da-literatura-1672355 [Consultado em 10-10-2014]
 
 

Prémio Nobel da Paz 2014




A mais jovem galardoada partilha o Prémio Nobel da Paz com o indiano Kailash Satyarthi  e está empenhada em continuar com a sua missão.

A paquistanesa Malala Yousufzai estava numa aula de Química quando soube que tinha sido distinguida com o Prémio Nobel da Paz. Sentiu-se honrada por receber uma distinção que diz não merecer. Decidiu assistir a todas as aulas que tinha esta sexta-feira e só depois deixou o liceu Edgbaston, em Inglaterra. Na reação ao prémio mostrou firmeza nos seus objetivos e prometeu que a sua luta pelo direito das crianças à educação não irá esmorecer.

Malala comentou esta distinção dizendo: “Estou muito contente por partilhar este prémio com uma pessoa da Índia. Com alguém com um grande caminho pelos direitos das crianças e contra a escravatura infantil. Inspira-me. Estou muito contente por haver tantas pessoas que caminham pelos direitos das crianças e que não estou sozinha”.

Malala e Satyarthi pretendem “caminhar juntos para que todas as crianças tenham educação”.

O Prémio Nobel que acaba de receber é tido como um encorajamento para continuar a sua campanha em defesa do direito das crianças à educação e da igualdade entre homens e mulheres. “Às vezes é muito difícil expressar os nossos sentimentos, mas senti-me muito honrada, mais poderosa e corajosa. Este prémio é mais que um pedaço de metal, é um encorajamento para continuar, para acreditar em mim, e saber que há mais pessoas que me apoiam nesta campanha”.

Aproveita a leitura do seu livro “Eu, Malala - a minha luta pela liberdade e pelo direito à educação", o qual podes requisitar nas bibliotecas escolares da EB2.3 c/ Sec. José Falcão e na EBI/JI Ferrer Correia.


quinta-feira, 9 de outubro de 2014

MATILDE ROSA ARAÚJO - O DESTINO DAS FADAS - Exposição


Está patente na Biblioteca Municipal Miguel Torga até 31 de Outubro a exposição “Matilde Rosa Araújo - o destino das fadas”.

Trata-se de uma exposição evocativa da vida e obra da escritora que marcou profundamente a literatura portuguesa para os mais novos e os rumos de uma pedagogia mais moderna e humanizada.

Poetisa, ficcionista, cronista, além de professora durante mais de quarenta anos, Matilde deixou uma vasta obra no domínio da literatura infanto-juvenil, distinguida com numerosos prémios, entre eles o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian.

A obra de Matilde Rosa Araújo mudou o modo como a literatura infantil passou a ser encarada nas nossas escolas, bibliotecas e famílias. A sua poesia e prosa estão presentes em grande parte dos manuais escolares de língua portuguesa para o 1º, 2º e 3º Ciclos.

MIBE - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares


Outubro é o Mês Internacional da Biblioteca Escolar. Em todo o mundo, este período é aproveitado para reforçar a visibilidade das bibliotecas escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens.

A International Association of School Librarianship (IASL) propõe, como anualmente acontece, um tema aglutinador — A tua biblioteca escolar: um mapa de ideias (tradução adotada pela RBE).
Para 2014, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares estabelece 27 de outubro como Dia da Biblioteca Escolar.


Está atento(a) às iniciativas que as bibliotecas do nosso Agrupamento vão concretizar ao longo deste mês.



terça-feira, 7 de outubro de 2014

Autor do Mês de Outubro

Eça de Queirós foi o autor selecionado pelas bibliotecas escolares para o mês de outubro.

Personalidade do Mês de Outubro

As bibliotecas escolares decidiram homenagear Teresa Calçada, a grande obreira do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, selecionando-a  para Personalidade do Mês de Outubro, o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.Podes consultar a sua opinião sobre a importância destas bibliotecas.


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O Alvazil de Coimbra


 
 
A Rede de Castelos e Muralhas do Mondego e O Teatrão, produziram o espetáculo de rua “O Alvazil de Coimbra”,  inserido nas comemorações dos 950 anos do Governo de D. Sesnando com o objetivo de valorizar o património físico e imaterial da Linha Defensiva do Mondego.


"O Alvazil de Coimbra", que se divide em dois episódios, está a percorrer os oito municípios que integram a Agência para o Desenvolvimento dos Castelos e Muralhas Medievais do Mondego, tendo a particularidade de em cada um dos locais, aos atores d’O Teatrão se juntarem os artistas amadores e músicos de cada município.

Em Miranda do Corvo participam: o grupo de teatro “Filhos do Palco, a Filarmónica do Grupo Recreativo Mirandense e o Coro da Casa do Povo.

 

Convidamos a embarcar numa viagem com os “Faunos dos Rios” até ao tempo do Governo de D. Sesnando Davides, no próximo dia 4 de outubro, no Alto do Calvário pelas 17h30.

 

Não perca este espetáculo! Entrada gratuita!!

A alegre história de Portugal em 90 minutos na Casa das Artes


 
 
Vai decorrer na Casa das Artes uma peça de Teatro intitulada «A Alegre história de Portugal em 90 minutos» interpretada pela Companhia Teatro Bocage, com o objetivo de motivar crianças e jovens para a aprendizagem da História de Portugal  de forma mais ligeira e divertida.

Fazendo jus ao espírito aventureiro e heroico de povo português, presente em todos os acontecimentos que culminaram na construção do Reino de Portugal e na sua constituição posterior como País e Estado independente, a Companhia do Teatro Bocage (Lisboa), selecionou 75 personagens representativos da História de Portugal, num enredo e dinâmicas imparáveis.

Viriato, D. Afonso Henriques, D. Afonso III, D. Dinis, D. Afonso IV, D. Fernando, D. João I, D. Henrique, D. Duarte, D. João II, D. Sebastião, D. Afonso VI e D. João V são apenas alguns dos muitos heróis da História de Portugal que destacamos.

Um apurado sentido de descoberta, o orgulho de ser Português, uma coragem sem limites, muita determinação no desbravar de horizontes além-mar, na conquista de novas terras e no conhecimento de novos povos, ditam o mote desta divertida comédia, que agrada a público de todas as idades. A não perder!

 

Dia 5 de outubro, 16h na Casa das Artes de Miranda do Corvo.

M/6

Entrada:

Adultos - 5 euros (IVA incl.)

Crianças entre os 6 e 10 anos - 3 euros (IVA incl.)

Adultos com idade igual ou superior a 65 anos – 3 euros (IVA incl.).

Reservas e venda de bilhetes na Casa das Artes de Miranda do Corvo (239 533141) Terça a sexta-feira: 14h/19h; sábado e Domingo: 15h/19h

Reservas no Posto de Turismo (239 530 316) e Biblioteca Municipal (239 530 326)


sábado, 27 de setembro de 2014

DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS

As bibliotecas escolares não deixaram, mais uma vez, de assinalar este dia. Diverte-te com alguns palíndromos e trava-línguas em português, espanhol, francês e inglês.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Receção aos alunos em início de ano letivo

As bibliotecas escolares tiveram oportunidade de dar as boas-vindas, neste novo ano escolar, aos alunos do Centro Educativo, da EB1 de Rio de Vide, da educação pré-escolar, do 1º CEB e do 5º ano da EBI/JI Ferrer Correia, bem como aos alunos do 5º ano da EB 2.3 C/ Sec. José Falcão nos dias 12 e 15 de setembro. Muitos deles estavam acompanhados dos pais/encarregados de educação ou de outros familiares. Os alunos mais novos fruíram a história "Uma biblioteca é uma casa onde cabe toda a gente" e os alunos do 5º ano a obra "Olá, eu sou um livro". Aos pais/encarregados de educação foi distribuído um folheto que reforça  a importância da leitura para o sucesso escolar.



quinta-feira, 3 de julho de 2014

Veados floridos

No âmbito das leituras desenvolvidas em sala de aula a propósito do 25 de Abril, a turma do 1º ano da EBI/JI Ferrer Correia presenteou-nos com a sua versão do "Veado Florido" de António Torrado.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Um livro... várias histórias

“Olhe, por favor, não viu uma luzinha a piscar?” ou “Corre, coelhinho, corre!” foi a obra de Bernardo Carvalho eleita pelas professoras bibliotecárias para desenvolver atividades de promoção e animação da leitura com as crianças da Educação Pré-Escolar durante o 3º período. Apresentamos aqui o resultado do reconto das histórias pelos alunos.



segunda-feira, 23 de junho de 2014

Alunos monitores das bibliotecas escolares visitam a Biblioteca Geral e a Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra


 
 
 
Com o objetivo de reconhecer o trabalho dos alunos monitores das bibliotecas do Agrupamento, bem como de lhes proporcionar um momento de aprendizagem, as bibliotecas escolares organizaram uma visita de estudo à Biblioteca Geral e à Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra, dado que estes alunos se empenharam a apoiar as bibliotecas escolares em diferentes atividades.

Os alunos puderam tomar conhecimento de algumas dinâmicas das bibliotecas visitadas, a partir da explicação dos técnicos que, simpaticamente, os acolheram e os orientaram pelas salas do catálogo, de leitura, dos reservados e de catalogação, bem como pelos depósitos da Biblioteca Geral e, finalmente, pela maravilhosa Biblioteca Joanina. Aqui só não se deixou ver a eficaz comunidade de morcegos que, zelosamente, apoia na preservação e proteção de tão rico espólio. No piso intermédio da Biblioteca os alunos também puderam apreciar a exposição que assinala o quarto centenário da publicação da “Peregrinação” de Fernão Mendes Pinto e espantaram-se com a Prisão Académica.

No final, os alunos escreveram os seus depoimentos, os quais manifestam o carácter motivador e propiciador de aprendizagens desta visita, que transcrevemos:

 “Eu gostei mais da Biblioteca Joanina, porque é antiga, estilo barroco, parece uma igreja e tem os morcegos e isto é muito interessante!” – Júlio Abrantes, nº 10, 6º H

“Gostei principalmente de ver os manuscritos na Biblioteca Geral. Acho que se deviam fazer mais visitas como estas para motivar a ida a bibliotecas.” – Maria João, nº 15, 9º D

 “Achei interessante a visita porque não sabia que havia cofres com livros, escadotes dentro das estantes e por haver prisões para estudantes.” – Carolina Pinto, nº 7, 8º A

“Eu gostei principalmente da estrutura e decoração da Biblioteca Joanina. Para além disso, também gostei da organização dos livros em ambas as bibliotecas e da área de estudo espaçosa e confortável.” – Isis Dias, nº 10, 7º C

“Eu gostei imenso da visita às Bibliotecas Joanina e Geral, porque nunca tinha visto manuscritos antigos, por isso esta visita foi interessante para mim.” – Alexandre Cardoso, nº 3, 7º F

“Gostei muito e gostava de voltar, mas a meio do ano.” - João Luís, nº 11, 7º C

Após a leitura destes depoimentos, queremos deixar aqui uma palavra de muito agradecimento a quem viabilizou esta visita, a saber, ao Sr. Diretor da Biblioteca Geral que autorizou esta visita gratuita, bem como à Câmara Municipal de Miranda do Corvo, que proporcionou a deslocação, também gratuita.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Os nossos animais de estimação...

Durante a Semana da Leitura, elementos da Universidade Sénior lançaram o desafio a alguns alunos do 1º CEB no sentido de contarem algumas passagens  com os seus animais de estimação. A Ana Luísa Neves, da EB1 de Rio de Vide, aproveitou para narrar algumas façanhas do seu gato Mimo que, mesmo após a morte, continua no seu coração.


terça-feira, 17 de junho de 2014

"Pensão Flor" na Casa das Artes de Miranda do Corvo

Dia 21 de junho, na Casa das Artes de Miranda do Corvo, não perca a atuação destes “Músicos do Mundo que por acaso estão em …” Miranda do Corvo.

Pensão Flor.
Lugar imaginário que a música vai tornando real.
Doze quartos, doze histórias, doze canções. No corredor há portas que se abrem para o Fado, a morna, o tango … E em cada quarto, janelas viradas para a rua. Ao longe o mar, alma de um povo mestiço, castiço, numa noite de arraial. Guitarra portuguesa ou talvez não.
A luz negra de um palco e a magia de uma tela de cinema. Espaço comum a 7 músicos que aqui partilham emoções, paixões, amores possíveis e impossíveis. Ponto de encontro ou ponto de partida?
Na Pensão flor a porta está sempre aberta.

“A Pensão Flor é, para quem conhece, uma local emblemático na cidade de Coimbra. Mas agora
é também um projeto musical aberto e arejado. Músicos do mundo que por acaso estão em
Coimbra” João Fernando Ramos, Jornalista RTP

Dia 21 de junho, 22h na Casa das Artes de Miranda do Corvo.
Entrada - 7 €
M/6
Reservas e venda de bilhetes na Casa das Artes de Miranda do Corvo (239 533141) Terça a sexta-feira: 14h/19h; sábado e Domingo: 15h/19h; dia do espetáculo: 20h às 22h.
Reservas no Posto de Turismo (239 530 316) e Biblioteca Municipal (239 530 326)




Louco como Eu

  Com Susana Moreira Marques "Joyce Carol Oates disse uma vez que quando os escritores perguntam uns aos outros a que horas começam a e...